Marx e a dívida pública

REMETA-SE A MARX

“(…) A única parte da chamada riqueza nacional que é realmente objeto de posse coletiva dos povos modernos é … a dívida pública”. (p.872)

Em tempos de ajuste fiscal, quando a dimensão do endividamento público ganha maior notoriedade e todos querem dar seus palpites sobre o problema e sobre as melhores soluções, um retorno ao velho Marx pode proporcionar, senão o melhor entendimento da questão, pelo menos alguma satisfação diante da sagacidade das interrogações propostas pelo mestre. Aos que julgam se encontrar perante um fenômeno recente, do qual o Brasil é apenas “um mau exemplo”, se comparado a outros países, fica a observação de que o sistema de crédito público, por meio do qual governos e governantes têm conseguido obter empréstimos para custear suas atividades (guerras, principalmente; mas também a expansão comercial e marítima e a construção de obras de infraestrutura — como pontes, estradas, portos), remonta à própria Idade…

Ver o post original 646 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s