Com programas sociais, população mais pobre conquista inserção formal no mundo do trabalho

Foto de Adenilson Dutra de Souza e sua produção de pão

“Ela é a garota propaganda da obra”, gritou um dos 8,3 mil operários da ampliação de uma das maiores fábricas de celulose do país, à beira do Lago Guaíba, no Rio Grande do Sul, quando viu a tímida Simone ser entrevistada. Simone Nunes Vieira, 30 anos, é ex-beneficiária do programa Bolsa Família e, hoje, um exemplo de que, com a ajuda de ações e programas sociais do governo federal e muita força de vontade, é possível crescer e ainda ter a expectativa de ir mais longe.

A gaúcha do pequeno município de Camaquã (RS), a 30 quilômetros de Porto Alegre, trabalhou na roça quando criança. A vida difícil no campo a impediu de terminar os estudos. Teve três filhos. A oportunidade de melhorar de vida surgiu quando foi incluída no Bolsa Família, em 2011.

O dinheiro complementava a renda do marido, que trabalha em uma loja de material de construção…

Ver o post original 778 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s